Inscrições do Prêmio Nacional de Inovação são prorrogadas até 28 de abril

Representantes de empresas vencedoras da premiação promovida pela CNI e pelo Sebrae ressaltam oportunidades e ganhos que tiveram depois de vencer o PNI

Por Redação

O Sebrae e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) prorrogaram as inscrições da 8ª edição do Prêmio Nacional de Inovação (PNI). O prazo, que seria até esta sexta-feira (31/3), foi estendido para o dia 28 de abril. Principal iniciativa de reconhecimento e estímulo à prática de inovação no país, o PNI busca contribuir no processo de aprendizado e possibilitar troca de experiências, auxiliando na identificação de seus pontos fortes e oportunidades de melhorias em inovação e gestão da inovação.

Faça aqui a sua inscrição

Vencedores de edições anteriores do PNI relataram à Agência de Notícias da Indústria o tanto que ganharam projeção desde a conquista do prêmio. É o caso da fundadora da Oficina do Sorvete, Maria Cristina Ventura Muggiati. “Depois que vencemos o Prêmio, com a divulgação, portas e oportunidades de negócios também se abriram à empresa – e a ampliação do nosso network levou a parcerias estratégicas aos nossos objetivos de médio e longo prazos”, diz a empresária.

Criada em Foz do Iguaçu há 30 anos, a Oficina do Sorvete desenvolveu uma linha de sorvetes com frutas nativas, algumas já em processo de extinção, do Parque Nacional do Iguaçu. Maria Cristina conta que durante a própria inscrição para o PNI obteve conhecimentos em inovação.

“Já no processo de preenchimento do questionário de inscrição, que considero de muito aprendizado, tivemos contato com as diretrizes estabelecidas pelo Manual de Oslo. A partir daí, foi possível compreender melhor tudo o que já fazíamos de inovador, bem como o que seria possível para melhorar a performance da empresa”, detalha. Ela acrescenta que a premiação credenciou a Oficina do Sorvete a participar de imersões nacionais e internacionais.

Reconhecimento e networking

O coordenador de Inteligência de Negócios da Nanovetores, Guilherme da Rosa, ressalta o quanto o PNI contribuiu para a empresa fundada em 2008, em Santa Catarina. A companhia venceu por priorizar processos limpos e sustentáveis na produção de ingredientes ativos nano e microencapsulados para a indústria cosmética, farmacêutica e têxtil.

“A chancela da CNI serve como um reconhecimento ao nosso compromisso com a inovação e a sustentabilidade, incentivando-nos a continuar aperfeiçoando nossos produtos e serviços de forma cada vez mais sustentável”, detalha Rosa. “Além disso, o Prêmio nos proporcionou a oportunidade de estabelecer um networking valioso com outras empresas premiadas na 7ª edição, muitas das quais são nossos clientes e fornecedores – o que nos permitiu, por sua vez, estreitar laços com nossos parceiros, trocar experiências e aprender com as boas práticas que estão sendo adotadas por outras empresas líderes em seus setores”, acrescenta.

Incentivo às boas práticas em inovação

O diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, ressalta a importância do PNI. “O Prêmio Nacional de Inovação é uma iniciativa fundamental para apoiar as micro e pequenas empresas, pois reconhece e premia aquelas que se destacam na implementação de práticas inovadoras em seus negócios. Além de promover uma vantagem competitiva aos vencedores, o prêmio também possibilita a disseminação da cultura de inovação em todo o setor empresarial, além de fomentar a colaboração e cooperação entre as empresas, estimulando o desenvolvimento econômico do Brasil”, destaca Quick.

A diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio, também alerta para a importância de se reconhecer o trabalho de pesquisa, desenvolvimento e inovação das instituições e pesquisadores. “O Prêmio Nacional de Inovação reconhece e incentiva os esforços das instituições brasileiras a contribuírem, cada vez mais, com novas ideias e boas práticas em inovação que viabilizem os cuidados com o meio ambiente e com o desenvolvimento econômico, social e tecnológico em todo o mundo”, explica a diretora da CNI.

O presidente interino da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Igor Nazareth, observa que o PNI estimula a produtividade no setor empresarial. “O Prêmio é uma forma de incentivar a interação entre os atores do ecossistema de inovação com foco no crescimento sustentável da indústria nacional, de forma inclusiva e criativa, proporcionando, também, o aprimoramento da produtividade e da competitividade do setor”, afirma o dirigente da Embrapii, apoiadora institucional do PNI.

Para o coordenador-geral de Promoção à Inovação e ao Transbordamento do Conhecimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Márcio Ramos, apoiar o PNI é um reconhecimento do CNPq à importância da cooperação entre ciência e o setor produtivo para incentivar a pesquisa, desenvolvimento e inovação nas empresas brasileiras. “Esse é um caminho imprescindível para o desenvolvimento do país. E é uma satisfação podermos, agora, contar com essa nova categoria voltada para os pesquisadores inovadores, reconhecendo a importância de seu papel no ecossistema de inovação”, enfatiza Ramos. O CNPq também é apoiador institucional do PNI.

Vencedores ganharão imersão e curso de educação-executiva

O Prêmio Nacional de Inovação é mais uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), que contribui para a construção de um ecossistema de inovação sólido, em prol do aumento da produtividade e da competitividade da economia nacional, e do bem-estar dos brasileiros. Desde 2011, foram realizadas sete edições do prêmio que, somadas, tiveram 13.555 inscritos, reunindo instituições de todos os setores, portes e advindas de todo o país.

Os vencedores do prêmio vão ser contemplados com uma imersão em ecossistema de inovação organizada pela CNI e com uma bolsa em curso de educação-executiva do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).

Categorias

A novidade desta edição do prêmio é a categoria denominada “pesquisador inovador”, voltada a reconhecer profissionais, homens e mulheres, que contribuem de forma muitas vezes decisiva para os processos inovativos nas empresas. De acordo com o regulamento, os pesquisadores, que atuam em um ou mais projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, precisam receber a indicação da empresa cadastrada na atual edição do Prêmio para realizar a inscrição, que não pode ser realizada pelo próprio pesquisador.

O público-alvo do PNI são pequenos negócios de todos os setores (comércio, indústria e serviço) e empresas industriais de todos os portes (pequenas, médias e grandes empresas), pesquisadores inovadores vinculados às empresas e ecossistemas de inovação. As categorias do prêmio são: Gestão da Inovação, Inovação de Produto, Inovação em Processo; Inovação para Sustentabilidade; e Destaque em Saúde e Segurança no Trabalho. Para cada categoria e para o destaque existem três modalidades de reconhecimentos: pequenos negócios, médias empresas e grandes empresas. Já para os ecossistemas de inovação as modalidades são: pequeno porte, médio porte e grande porte.

Deixe seu comentário aqui!